Bem vindo ao meu universo! Neste blog você encontrará textos de uma garota de 21 anos, Ana Teresa Araújo Viana. Alguns textos são reflexões sobre diversos assuntos, outros são apenas o resultado de alguma madrugada inspiradora. Sem mais delongas, Deixa a Alma Respirar!







quinta-feira, 25 de novembro de 2010


Quando ele entrou por aquela porta eu soube que o amava. Definitivamente, o amava. Os cabelos curtos, escuros, a pele bronzeada, os músculos proeminentes. Eu amava cada milímetro, cada centímetro que compunha aqueles quase dois metros de altura. Tão forte, tão alto, tão imponente. Mas tão doce, tão delicado, tão envolvente. Nos primeiros dias estranhei aquele silêncio... tanto mistério. Estranhei também aquela terra estranha, aquele mundo estranho ao qual eu devia me inserir. Sei que ele também estranhou esta mulher ocidental, vinda de um lugar tão distante. Sei que estranhou meus trajes, meus modos, minha espontaneidade, minha personalidade falante. Ele também não compreendeu porque uma prisioneira havia sido dada como esposa a um príncipe. Sei que não, porque eu também não compreendi. Com o passar do tempo, passei a entender aquele homem silencioso, aprendi que seus olhares diziam tudo aquilo que eu precisava saber. Percebi que compensava suas poucas palavras com grandes atitudes. Mais que isso: passei a amar o seu silêncio, passei a respeitá-lo em seus momentos solitários. Aprendi que as palavras não precisam ser ditas para terem valor. Aprendi que um abraço carinhoso diz mais que mil palavras. Passei a admirar sua coragem, sua honra, seu cuidado. Aprendi a ser a esposa de um guerreiro, aprendi a ser o porto-seguro, o consolo, a ternura e o aconchego. Ele aprendeu a ansiar pelo toque da sua esposa ocidental, a vislumbrar o meu rosto nos momentos difíceis do combate. Aprendi a vestí-lo com aquela armadura antes de vê-lo partir para a guerra. Ele aprendeu a atar minha veste branca, aprendeu a pentear-me os longos cabelos de ébano. Aprendi a esperá-lo ansiosamente. E quando dei por mim, percebi que havia aprendido a amá-lo. E posso ver em seus olhos que ele aprendeu a me amar, também.

5 comentários:

  1. Oi, Ana!
    Esse texto pode ser o início de uma linda história. Li e fiquei com pena quando terminou. Fiquei com vontade de ler o capítulo seguinte. Estou aguardando por ele, tá?
    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Ei Mamãe!
    Interessante, essa história me veio através de um sonho! rsrsrs.
    Quem sabe algum dia eu dê continuação a ela... uma ótima ideia!
    Obrigada por estar sempre acompanhando o blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ana,
    me arrepiei ao ler o seu texto... e como disse a Cida, foi uma pela ter que ler a última palavra!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Ei Bruna, muito obrigada!
    Esse texto é um dos meus preferidos. Ele me veio em um sonho, e ao acordar a única coisa que eu pensava era em escrevê-lo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Ana, seus textos estão otimos, continue assim.

    Samuel Campos

    ResponderExcluir

Esse espaço é seu. Exponha suas idéias, suas opiniões. Livremente, sem medo. Deixa a Alma Respirar!