Bem vindo ao meu universo! Neste blog você encontrará textos de uma garota de 21 anos, Ana Teresa Araújo Viana. Alguns textos são reflexões sobre diversos assuntos, outros são apenas o resultado de alguma madrugada inspiradora. Sem mais delongas, Deixa a Alma Respirar!







domingo, 27 de fevereiro de 2011

Faça hoje todo o bem que puder.

"Não importa o que aconteça na vida, seja bom para as pessoas. Ser bom para as pessoas é um legado maravilhoso para se deixar para a posteridade." (Taylor Swift)

E, mais dia, menos dia, você vai se dar conta do que é verdadeiramente importante na vida. E vai lamentar os abraços não dados, os "eu te amo" não ditos, os vínculos não criados. Você olhará para trás e verá tempo gasto em bobeiras, briguinhas por causa de nada, mas que custaram muito, sentimentos que nunca te engrandeceram, medos à toa. Oportunidades perdidas, momentos não vividos. Você pára pra pensar e se pergunta quantos amigos você realmente fez. E quanto tempo você gastou com eles, se realmente se importou com cada um deles, se ligou no meio da tarde só pra perguntar "como anda a vida", se riu o suficiente das piadas particulares, se os fez saber que eram especiais. E então você se lembra da família, e de repente percebe que ela não viverá para sempre... e que, por isso, é preciso fazer cada minuto valer a pena. Você descobre que a sua avó está velhinha, velhinha, e que você perdeu grande parte do tempo desmerecendo os idosos, e, que por isso, nunca haverá tempo suficiente para se deliciar com as histórias de outras épocas, com a companhia de quem já viveu e sabe tanto. Então você se dá conta de que nunca se importou com os que sofrem nos hospitais, nos asilos, nos orfanatos... Se dá conta de que você nunca teve tempo para o sofrimento alheio, para espalhar sorrisos, para fazer alguém se sentir melhor.
Você vai desejar ter mais tempo para voltar e fazer tudo de novo... Diferente, dessa vez.
Mas o tempo não é eterno... O tempo não pode voltar. A vida não volta atrás.
Você percebe, por fim, que o real sucesso obtido na vida não é medido através de posses conquistadas, de dinheiro acumulado. O REAL SUCESSO É MEDIDO ATRAVÉS DO BEM QUE VOCÊ FEZ DURANTE SEU TEMPO DE ESTADIA NA TERRA.

O tempo de fazer valer a pena é hoje. O tempo de espalhar sorrisos é hoje. O tempo de cuidar do próximo é hoje. O tempo de dizer 'eu te amo', de deixar alguém saber que é importante para você É HOJE.

Porque o futuro é promessa... que pode não existir.
Por isso...

Faça a vida valer a pena.
Faça hoje todo o bem que puder.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Conto I - O sim de Deus.


Ela quase não acreditava que os nove meses de gestação estavam para se completar. Logo teria seu filho nos braços... seu primeiro filho. Aquela situação era simplesmente especial.

Sempre sonhara ser mãe; passara toda a infância ao lado de bonecas, em meio a inúmeras brincadeiras de casinha. A adolescência havia sido uma época de estudos, de esforços. Aquela adolescente de anos passados já pensara no futuro: estudara muito, lutara por uma vaga na faculdade de Direito, seu grande sonho profissional. Muita dedicação e alguns anos depois, despiu-se de sua adolescência, vestiu-se para a formatura da faculdade. Formou-se com louvor. Não demorou muito, conseguiu um bom emprego e conheceu o homem de seus sonhos. Ele a fez esquecer de todos os garotos que haviam partido seu coração. Ele a fez compreender o exato significado da palavra AMOR. Então ela soube que valera a pena esperar. Ela mal podia acreditar na grandeza de tudo o que a vida lhe dera. Não é que tudo fosse perfeito. Mas tudo era incrível, e eles, felizes. Mais alguns anos se passaram, carreiras consolidadas, certeza de amor. O casamento, exatamente como haviam planejado por tanto tempo. Lágrimas de felicidade. Doçura escorrendo pelos olhos. Algum tempo depois, a primeira gravidez. Sorrisos e mais sorrisos. Um sonho a dois que se realizava.

A retrospectiva de sua vida a emocionava. Sentada na varanda de casa, tomou nas mãos os sapatinhos brancos de bebê que estavam sobre a mesinha. Diante de tanta pureza, silenciosamente jurou ser uma pessoa melhor a cada dia. Alguém de quem o seu filho pudesse se orgulhar, sempre. Jurou ser uma ótima mãe, assim como anos atrás jurara ser uma ótima esposa. Agradeceu a Deus por tudo o que lhe fora dado. Agradeceu por ter feito as escolhas certas. Pediu sabedoria para educar a criança que logo viria. Pediu amor. Demais, demais, em turbilhões. Que pudesse sempre amar com todo o coração a família que construíra. Queria ser capaz de ajudar na construção de um mundo melhor, um mundo melhor para seu filho.

Diante de tanta ternura, de tanto afago, um Deus emocionado disse sim àquela mãe.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Rompante de otimismo.


A cada dia me convenço mais: felicidade é questão de opção.

Penso que 'felicidade' é o maior objetivo da vida. Pra quê viver se não for pra ser feliz? De que vale? Portanto, lutar pela felicidade me parece um direito tão natural quanto respirar. Há mesmo que se jogar fora tudo aquilo que não acrescenta, tudo aquilo que não constrói felicidade. Sem medos, sem culpas, sem receios. A nossa vida é curta demais e preciosa demais para ser desperdiçada com tantos sofrimentos inúteis, que só nos tornam pessoas amarguradas, solitárias, infelizes. Há que se aproveitar bem esse tempo aqui na Terra, há que ser feliz, feliz por demais. E sim, felicidade é questão de opção.
Acredito ser necessário decidir-se diariamente pela felicidade. Algo como: "Ok, tudo parece péssimo, o dia está horrível, mas, ei, esse é um dia precioso da minha vida. Vou parar de reclamar e começar a pensar numa maneira de resolver meus problemas. Mas antes, vou colocar um sorriso no rosto, porque, fala sério, eu mereço ser feliz!"
É preciso parar de cultivar ódio, mágoa, pessimismo, estresse, é urgente que se aprenda uma maneira mais leve de encarar a vida, as relações, as pessoas! É preciso vontade de felicidade... vontade de ser feliz... e de fazer feliz!
Faça todo o bem que puder. Semeie o amor, o otimismo, cuide de você e das pessoas que estão ao seu redor, sorria sempre, mesmo que tudo pareça errado. Aprecie os detalhes, lá fora há um mundo cheinho deles, esperando por você. Uma flor, um céu azul bem lindo, um bom-dia sonoro, um abraço acolhedor, uma gentileza, um carinho... São detalhes que, no fim, fazem toda a diferença. Deixe que a vida maravilhe você.
Só acho que a vida pode ser um pouco menos ordinária, risos. E um pouco mais incrível, se a gente assim desejar.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Bad Hair Day²


Sensações à disparada, turbilhão de não-saberes, tão confuso, tão mormaço. Tão tudo, tão nada.


(E eu só queria encontrar as palavras certas. Mas elas também parecem confusas agora.)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Desejo de Felicidade - Parte II


(Seja forte agora, porque as coisas vão melhorar. Mesmo que houver uma tempestade lá fora, lembre-se de que não pode chover para sempre.)



E há que se ter uma alma um tanto mais fresca e um tantinho mais curiosa.

E há que se ter vontade de paixão, de loucura, de ilusão, de palavras menos ditas e mais sabidas, de olhares, de significados, de encantamento, de doçura. Que a vida é mais, muito mais do que se vislumbra agora... E tudo é infinitamente maior; os propósitos, os universos, os horizontes, os desejos, as oportunidades. Tão, tão maior que isso! E há que se cheirar muitas flores, apreciar muitos pores de sóis e nasceres de sóis; e além disso há que se cantar tantas canções. Há tantos assobios a se assobiar, e tantos pássaros para se ouvir, e tanta chuva para se molhar, e muitos céus para se ver. Simplesmente a melodia não é finda, e há que se ter vontade de continuar... vontade de conhecimento, de impulso, de juventude, de dança, de festa, de calor, de emoção, de transparência, de felicidade. Sim. Há que se ter vontade de felicidade, e de vida. E que esta seja plena de abundância de cores e sabores.
E que se desbrave os mundos, os mares e os sonhos; e que se descubra tudo o que puder ser descoberto, conheça o que der para ser conhecido e ame, que tudo pode ser amado.
- Para que a vida seja coisa um tanto mais fresca, um tanto mais curiosa. Um tanto mais vivível.



(Coisas melhores vêm por aí)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Bad Hair Day


Decepção é...

descobrir que a única revista do consultório médico é do ano passado.
Ou descobrir que a única pessoa na qual você confia não é lá tão confiável assim.

Colocar leite no copo e só depois perceber que o achocolatado acabou.
Ou esperar ouvir "meus parabéns" e ouvir nada mais do que "não fez mais que sua obrigação".

Fazer um milhão de fotos bonitas e ter a máquina roubada no fim do dia.
Ou estar entre um milhão de pessoas e sentir-se aterradoramente sozinho.

Levantar mais cedo no sábado para comprar sorvete e dar de cara com a sorveteria fechada.
Ou esperar que alguém note seu vazio interior e... ninguém nunca notar.

Decepção de verdade é...
perceber que o mundo é meio louco, as pessoas bem hipócritas e que, no fundo, nada faz o mínimo sentido.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

O garotinho que reinventou a vida.

Ela andava pela rua distraída. Pensava no teste da semana que vem, no vestibular que se aproxima, no amor sempre tão distante e impossível...
Caiu de suas nuvens de algodão in-doce, despertando de repente. Ao seu lado, andava um garotinho. Passo a passo, o menino a acompanhava automaticamente, também ele perdido em seus próprios pensamentos. Aquilo a perturbou profudamente. Em seus quase 17 anos de vida, nunca vira alguém andando tão serenamente ao lado de um desconhecido. As pessoas em geral apressam o passo e ultrapassam as outras pessoas em suas andanças. Ou então guardam uma distância segura, de quatro ou cinco passos, evitando aquele ser que não é seu amigo ou parente. Mas aquele menino andava ao seu lado - exatamente ao seu lado! Parecia desconhecer a lei que secretamente regia o mundo daquela moça: MANTENHA UMA DISTÂNCIA SEGURA DE TODAS AS POSSÍVEIS FORMAS DE AFETO. Não se apegue. Não se vincule. Não ame. Não demonstre.
Mas ele era apenas um garoto, e carregava uma mochila nos ombros, e ele parecia ter oito anos e um jeito tão doce! E ele sorria, e cantarolava uma canção tão leve e tão gostosa, parecendo relembrar algum fato acontecido nos amplos jardins de sua escola. Ele era apenas um menino, um menino que não tinha nenhum medo da vida. E a vida, ao lado daquele menino, de repente pareceu tão mais simples e tão mais bela!
É claro que a moça não conseguiu conter um sorriso. E ela sorriu. Com os lábios, com os olhos e com o coração. A vida, afinal, não tinha que ser um fardo; quis gritar essa descoberta. Ela desejou a felicidade assobiada pelo menino. Decidiu assobiar também.
E naquele dia, ao chegar em casa, a moça abriu as cortinas, colocou um vaso de azaléias na janela, ligou para os velhos amigos, olhou nos olhos castanhos de seu esquecido cachorrinho.
Aquele garotinho simpático e descuidado não sabia, mas ele tinha acabado de reinventar uma vida.


Ps.: Dedico esse texto a todas as pessoas que com seus atos simples e despojados, porém altamente significativos, reinventam a vida diariamente.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Gente com Alma.

"Se você é sortudo o bastante para ser diferente... nunca mude."

Somos tentados o tempo todo a não demonstrar. Não demonstrar tantas emoções, tantas reações. Somos orientados a nos conter o máximo que pudermos, reservar nossos pensamentos e sentimentos a nós mesmos. Devemos ser "normais", comuns. Devemos nos "encaixar". Por um tempo acreditei que isso fosse errado, durante outra parcela de tempo acreditei que isso fosse o certo. Enfim. Não cheguei a nenhuma conclusão. Mas nesse meio tempo, algo me surpreendeu. De alguma maneira incrível e totalmente aleatória, descobri que as pessoas tem necessidade de gente com personalidade e atitudes próprias. As pessoas querem isso. As pessoas necessitam disso. Tá faltando gente com alma. Gente que ri, que chora, que assume seus afetos, suas necessidades, que defende suas ideias com paixão. Tá faltando gente diferente! Que cative, que faça falta, que marque, que seja muito mais do que um rostinho bonito na multidão.
Na verdade, a maioria das pessoas passa a vida inteira sonhando com aquele (a) que os resgatará da monotonia de seus dias. Todo mundo quer viver algo incrível, novo, diferente. Todo mundo quer se sentir em meio a um conto de fadas. E a verdade é que, no final, todo mundo está à procura justamente da pessoa única, incomum, daquela que fará a diferença em suas vidas. Conhece a história do príncipe encantado? Pois é.
O mais interessante é que estamos perdendo a chance de nos tornarmos pessoas únicas e incomuns. Estamos simplesmente nos massificando, sem pensar duas vezes. Isso seria engraçado, se não fosse trágico.
Só acho que merecemos algo além do lugar comum. Só acho importante dizer que ainda existem, sim, pessoas que estão à procura de alguém com suas próprias características, idéias, paixões. Ainda existem pessoas que apreciam o diferente!

"Ver um rosto bonito é diferente de ver uma alma bonita."

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Not yet.

"Cuidado com seus desejos. Eles podem se tornar realidade."
Descobri que queremos não exatamente o que desejamos. Queremos mais é o senso de oportunidade, vitória e mudança que costuma vir junto com nossos desejos.
Na verdade, gostamos mesmo é de sonhar. Sonhar com o novo, com o querido. Na maioria das vezes, quando temos nossos sonhos realizados, sentimos medo e insegurança. Na maioria das vezes, não estamos prontos para viver os nossos sonhos. Não ainda.

Será que é assim com todo mundo, ou será que eu vim de outro planeta? :(

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Molequinho arteiro, coisas onduladas, vendavais e a paixão pela vida apesar das adversidades.


Às vezes a vida nos olha de frente. Um olhar um tanto quanto desafiador, eu diria. E em meio a um sorriso irônico, ouço a vida dizer:
- Quero ver até onde você agüenta...

E dá-lhe problemas, confusões, sentimentos mal resolvidos, traumas do passado, arrependimentos, dúvidas, incertezas.
É que às vezes a vida faz as vezes de um molequinho arteiro. E a vida nos prega peças. E a vida nem sempre é o que a gente espera. E de repente, você se vê num lugar no qual você não gostaria de estar. Não mais que de repente, você percebe em você mesmo sentimentos que você não gostaria de guardar. Num repente, o espelho não lhe agrada mais. As coisas estão onduladas. Onduladas demais, quando tudo o que você mais precisa é uma superfície lisa e regular que reflita as verdades que você tanto procura.
É que às vezes a vida faz as vezes de um molequinho arteiro. Arteiro e encantador.
(Aquele encantamento que só mesmo molequinhos bem arteiros podem possuir.)
É que às vezes a vida faz as vezes de uma criança. E ela apronta, e ela irrita, e ela decepciona. Mas é quando você olha pra vida, essa criança tão leviana. E é quando ela olha para você. E toda desilusão se dissolve no instante em que você vislumbra seus olhos azuis. E ela te olha, meio desafiadora, como criança teimosa. Porém tão terna quanto mãe carinhosa. E então ela te abraça, e aquele abraço contém toda a sinestesia. Num misto de sensações, emoções e vendavais, o abraço da vida te devolve a vontade de vivê-la. É quando você descobre que vale a pena ter essa criança mal-criada perto de você. Porque ela é mágica e é encantadora, e ela é fascinante e é imprevisível.
Dessa vez, quem olha a vida de frente é você. E em meio a um sorriso doce, você se escuta dizendo:
- Ei, vida. Sabe o quê? No final das contas, eu sou apaixonada por você!